terça-feira, 2 de novembro de 2010

PT fará reunião com Michel Temer para acalmar o PMDB

                           Temer, Dilma e Lula comemoram a vitória eleitoral, no domingo

Reunião sobre transição só entre petistas irritou o partido do vice de Dilma
Marina Dias, de Brasília



(Ricardo Stuckert/Presidência)

Depois de fazer a primeira reunião sobre a equipe de transição do governo da presidente eleita Dilma Rousseff (PT) sem a participação do PMDB, os petistas pretendem acertar os ponteiros com os aliados nesta terça-feira. Por volta das 20 horas, haverá uma reunião entre o presidente do PT, José Eduardo Dutra, e o deputado Michel Temer (PMDB), vice de Dilma. No encontro, que vai ocorrer na residência oficial de Temer em Brasília, não está prevista a presença de nenhum outro membro das legendas.

Durante a conversa, Dutra deve levar sinalizações de como Dilma pretende dividir os cargos e os ministérios em seu governo. Temer, então, deve fazer suas exigências. Os peemedebistas ficaram irritados por terem sido excluídos do primeiro encontro pós-eleição e também com o pouco destaque dado a Temer durante a campanha. O vice-presidente eleito só apareceu no segundo turno em um programa eleitoral exibido na televisão após a pressão feita pelo partido aliado.

O peemedebista Moreira Franco, que participou da campanha de Dilma no segundo turno, e Henrique Meirelles, presidente do Banco Central, são nomes com boas chances de ocupar um lugar no novo governo. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu a Dilma que Meirelles permanecesse na presidência do BC.

A presidente eleita deve considerar o pedido de seu maior cabo eleitoral, mas já manifesta o desejo de indicar Luciano Coutinho, presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para o cargo. Temer, que ainda não assumiu uma posição sobre o tema, deve opinar, mas a palavra final sobre o assunto será dada após o acordo entre Dilma, Lula e Meirelles.

Conversas - O deputado federal José Eduardo Cardozo (PT), um dos coordenadores da campanha de Dilma, disse que não ouviu queixas do PMDB sobre o pouco espaço dado à legenda nas primeiras reuniões sobre a formação do governo. "Desconheço qualquer coisa a respeito, sinceramente", afirmou, nesta terça, ao chegar à casa da presidente eleita. E completou: "Nós vamos conversar com todos os partidos".

(Com reportagem de Gabriel Castro)

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial